Compra coletivas: você sabe usar?

07/05/2011 18:58
Os sites de compras coletivas vêm se multiplicando e seus serviços se popularizando cada vez mais, mas muitas empresas tem tido dores de cabeça e resultados negativos ao se aliarem a esses sites. A falta de preparo dos estabelecimentos para receber a alta demanda proveniente da compra de cupons nesses sites faz com que o serviço saia prejudicado e o cliente insatisfeito.
 
“Temos ouvido falar que os sites de compra coletiva estão prejudicando os estabelecimentos comerciais, mas o que tem ocorrido é que muitos destes locais investem na oferta coletiva e não estão preparados para receber um número tão grande de clientes, resultando em um atendimento ruim. Por isso, os estabelecimentos precisam se adequar/preparar para atender um número maior de consumidores, prestando um serviço de qualidade que encante e que faça estes consumidores retornarem”, aconselha Robson Tavarone, sócio e diretor comercial do site Ótima Oferta.
 
Os problemas enfrentados por estabelecimentos e consumidores vão desde a falta de produtos até horários indisponíveis para atendimento passando pela indesejada substituição causada pela falta do produto ou serviço comprado no cupom.
 
A assessora de imprensa Dalila Zangrandi passou por essa experiência ao comprar um cupom que dava descontos em uma escova nos cabelos, manicure e pedicure. “Comprei o cupom e na hora de usar percebi que o salão tentava ao máximo dificultar a minha vida, nunca tinham o dia e horário que eu queria. Cheguei a ligar para marcar como alguém que não tivesse tido o desconto do site e o atendimento foi totalmente diferente, consegui marcar o horário e dia que queria”.
 
Para receber a crescente demanda de trabalho depois de se tornar parceira de vários sites de comprar coletivas, a empresária Tatiana Dias, do site Espaço Tati Gourmet, se prepara com antecedência. “A primeira vez que sai nos sites de compras coletivas, confesso que foi meio corrido, não sabia que o retorno seria grande. E para minha surpresa foi um boom tremendo. Mas consegui atender todas as pessoas. Nas outras vezes que as ofertas saíram, foi mais simples, pois já estava preparada com uma demanda de material maior, trabalhando sempre em cima da minha agenda, atendendo um certo número de clientes por dia, para poder atender todos com atenção e principalmente qualidade, fazendo assim com que o cliente retorne”.
 
Tatiana Dias afirma, ainda, que alguns sites também não oferecem toda a estrutura necessária para que a compra dos cupons transcorra sem dificuldades. Segundo a empresária, alguns sites só fazem o repasse ao contratante quando o ticket é validado, muitas vezes o cliente compra, não retira o produto e o site fica com o valor total da venda, ou seja, o produto é vendido e o contratante não recebe sua parte.
 
A jornalista Flávia Corbó costuma comprar cupons de sites de compras coletivas, mas não costuma ter problemas. “Apenas uma vez tive dificuldade para fazer reserva num restaurante japonês e na outra comprei o cupom de um jantar no restaurante de um hotel, com R$ 70 de crédito, peguei um vinho de R$ 40, depois que o garçom trouxe o vinho, e ele já estava sendo consumido, fui avisada de que as bebidas não faziam poderiam ser pagas com o voucher”.
 
Segundo a jornalista, não havia nenhum aviso de que as bebidas não fariam parte da promoção.
 
Para evitar imprevistos há alguns cuidados que podem ser tomados pelo consumidor, de acordo com o Patricia Peck Pinheiro Advogados, escritório especializado em Direito Digital:
 
  • Observar sempre os Termos de Uso e Condições de Participação da compra; 
  • Verificar a política de desistência da participação na compra coletiva;
  • Conhecer a Política de Privacidade do organizador da compra coletiva para saber o tratamento que este dará aos dados fornecidos; 
  • Ficar atento à página de pagamento da oferta, checando se opera em ambiente de navegação segura e possui certificados digitais de segurança;
  • Direitos que o participante de compras coletivas possui: 
  • Caso o número mínimo de participantes não seja atendido o comprador deve ser ressarcido pelo que pagou;
  • Indenização em caso de falhas na emissão do cupom para aquisição do produto ou serviço oferecido; 
  • Se o estabelecimento ou fornecedor se recusar a receber o cupom, o organizador da compra coletiva responderá pela recusa;
  • Aceitando o cupom de pagamento, cabe ao estabelecimento cumprir com as condições oferecidas no mesmo, devendo sempre estar previstas previamente as ressalvas para o uso do mesmo (dia da semana, horário, validade e outras limitações);
  • Caso não consiga cumprir com a oferta fixada, é caracterizada a venda impossível, passível de indenização, ex. falta de disponibilidade dentro do prazo de validade do cupom.
 
Através de uma varredura em cerca de 200 sites de ofertas em mais de 100 localidades do Brasil, a Comune, agregadora de ofertas, chegou à conclusão de que o mercado de compras coletivas movimentou R$ 136,85 milhões no primeiro bimestre de 2011. De acordo com o levantamento, 2,83 milhões de cupons de descontos foram comercializados em janeiro e fevereiro deste ano.
 

Fonte e créditos: Portal Call Center

Atenção: Grande parte do conteúdo divulgado no Blog é oriundo do trabalho realizado pelas Assessorias de imprensa, Marketing, Publicidade e outras áreas das companhias/instituições/associações e afins. Em respeito e direito aos trabalhos, ideias, conteúdos e idealizadores, todo o conteúdo recebido é divulgado na íntegra, ou seja, sem alterações. Em respeito ao desejo do autor e idealizadores, os conteúdos divulgados aqui podem ser excluídos. Para isso, é necessário a formalização do pedido com as informações necessárias de identificação, através do e-mail blogdocallcenter@uol.com.br  O mesmo vale para conteúdos que foram compartilhados de sites/Blog´s, onde sempre cito a fonte, concedo os créditos e divulgo o link de origem da extração da matéria. Caso o autor/idealizador discorde do compartilhamento aqui no Blog, basta formalizar sua solicitação com as informações necessárias, através do e-mail blogdocallcenter@uol.com.br  O Blog do Call Center também não possui nenhuma responsabilidade sobre a veracidade das informações, cabendo ao discordante, entrar em contato diretamente com o responsável pelo artigo/notícia, através do link informado na matéria/artigo/notícia.

Contato

Blog do Call Center São Paulo - SP - Brasil contato@blogdocallcenter.com.br